COISAS DO VÔLEI

AUTOBIOGRAFIA – MINHA TRAJETÓRIA EM MAIS DE 30 ANOS DEDICADOS AO ESPORTE

Apoio e comprometimento foram fundamentais para me tornar um atleta profissional

noticias

Olá, tudo bem?

Eu sou Marlon Muraguti Yared, atleta profissional de voleibol, jogo como levantador e esta é a minha história.

Iniciei minha carreira como jogador aos oito anos (1985), na escola Positivo da Vila Eletrosul, em Guaíra (PR), sob orientação do professor João César Rossini que, além de me apresentar ao esporte, me direcionou para a função de levantador.

Em 1987 disputei os Jogos Regionais Escolares, minha primeira competição a qual me proporcionou também, aos 10 anos, a primeira de muitas viagens como atleta, para disputar a fase final do Campeonato Estadual Escolar em Castro (PR). Este foi o primeiro rumo à minha profissionalização no voleibol.

Através de um convite do técnico Marcus Winkel, em 1990 passei a residir em Concórdia (SC) e defendi as equipes mirim, infanto e juvenil da Sadia por três anos e meio. Já em 1993, ainda na categoria infanto, fui convocado para a seleção catarinense e com ela disputei os JEBS – Jogos Escolares Brasileiros e os campeonatos brasileiros de seleções infanto-juvenil (Campos – RJ) e juvenil (Vassouras – RJ). Inclusive no brasileiro infanto-juvenil fui eleito o melhor levantador da competição naquele ano e esta foi minha primeira conquista individual no esporte.

Após este período em Santa Catarina, a convite do técnico Percy Oncken, em fevereiro de 1994 fui jogar na equipe do Canadá Country Clube em Londrina (PR) e foi a partir daí que minha relação com o voleibol passou a ficar mais séria e também mais próxima do profissionalismo. Neste mesmo ano recebi minha primeira convocação para a seleção brasileira e disputamos o Campeonato Sul-americano Infanto-juvenil em Caracas (VEN) onde fomos campeões. 

Após três anos na equipe paranaense, já em 1997, a convite do auxiliar técnico Benhur Sperotto passei por um período de testes na equipe do Olympikus (Campinas – SP) dirigida pelo técnico Bebeto de Freitas o qual avalizou minha contratação e assim, em fevereiro daquele ano, me tornei oficialmente um atleta profissional de voleibol.

Pouco tempo depois recebi nova convocação para a seleção brasileira, desta vez pelo técnico Marcos Lerbach, para defender o Brasil no Campeonato Mundial Juvenil em Manama (Bahrain) e voltamos para casa com a medalha de prata.

Na temporada 1997/1998 fui cedido ao time do Fluminense (RJ) para disputa da minha primeira Superliga, ficamos em último lugar na competição, mas a experiência foi extraordinária. Além da oportunidade de vivenciar um ambiente profissional no esporte, pude conhecer a força do voleibol brasileiro e jogar contra grandes nomes da modalidade à época, entre eles, Marcelo Negrão, Gilson “mão de pilão”, o argentino Marcos Milinkovic, Nalbert, Carlão entre outros. Foi sem dúvida um enorme aprendizado.

Desde então foram 19 temporadas até aqui, entre superligas brasileiras, campeonatos italianos, campeonatos russos, seleções brasileiras além de grandes competições como Campeonatos Sul-americanos, Ligas Mundiais, Copa do Mundo e Campeonato Mundial. Para saber mais sobre minha trajetória, clique AQUI.